Blog

“Prêmio abre portas”, diz melhor do Espírito Santo

Única do seus estado na lista da 100 por 4 anos, ONG acredita que reconhecimento incentiva inscrições de outras organizações da região 

Melhor ONG do Espírito Santo em 2021, o Instituto Ponte tem apenas 7 anos de vida, mas já foi a ponte para mudar a vida de muitas famílias em situação de vulnerabilidade social. Com bons resultados desde seu primeiro ano de atuação, a organização tem sido reconhecida em todas as edições do Prêmio Melhores ONGs desde 2018 e, em 2021, foi destaque como a melhor de seu estado, o Espírito Santo. Fabiane Caetano, sua gerente educacional, nos contou um pouco mais sobre esse trabalho, propósitos e desafios. Boa leitura!

O que vocês acreditam que foi fundamental para que a sua ONG fosse destaque no estado? O Ponto é uma ONG jovem, mas que vem se destacando pela transparência e ampla divulgação de seus resultados. Com isso, tem conquistado novas parcerias e credibilidade com a comunidade Também destacamos a gestão estratégica para o alcance dos resultados, com criação de metas, documentos elaborados pela equipe e monitorados regularmente. Buscamos qualidade e assertividade na documentação das ações, na comunicação e divulgação nas mídias sociais. Por 4 anos consecutivos fomos a única ONG do estado a ganhar o Prêmio e isso nos orgulha muito. Sabemos que outras se inscrevem, incentivadas pelas nossas vitórias. Mas, por enquanto, estamos com esta honra de ser a única.

Quais são os principais desafios locais e como vocês acham que a sua organização contribui para minimizá-los? Infelizmente, a defasagem educacional não é só local, ela é um problema nacional. Segundo a OCDE-2018, os 10% mais pobres da população brasileira demoram 9 gerações para alcançar a renda média. O objetivo do Instituto Ponte é justamente interferir nesta realidade, transformando futuros por meio da educação, potencializando talentos que poderiam ser desperdiçados por falta de oportunidades.

Nosso propósito, que também tem está no nosso nome, é ser a Ponte para ascensão social para jovens em vulnerabilidade social, por meio de educação de qualidade.Ao formar profissionais de alta performance e cidadãos íntegros, auxiliamos a transformação socioeconômica nestas famílias.

Um destaque é o nosso Programa Educacional Ponte para o Futuro, que seleciona alunos talentosos de escolas públicas, acompanhando-os do Ensino Fundamental até a sua inserção no mercado de trabalho. Por meio dele, realizamos suporte pedagógico, acompanhamento psicológico e orientação profissional/projeto de vida, no contraturno escolar. Também oferecemos oportunidades em instituições de ensino parceiras (ensino regular, curso de inglês e cursinhos pré-vestibular). 

Como o Prêmio foi recebido aí e como ele tem feito diferença no trabalho? O Prêmio traz orgulho para equipe, para os beneficiários e suas famílias, isso é de um valor sem igual. Mas, principalmente, abre portas, possibilidades, credibilidade e oportuniza conexões. Hoje, o Instituto Ponte é conhecido nacionalmente. Instituições e pessoas de outros estados nos procuram para fazer parcerias, conhecer de perto o nosso trabalho, se tornar voluntários, doadores de serviços e em espécie se aproximam e confiam que o investimento é seguro. E todos sentem orgulho por fazer parte de uma das 100 melhores ONGs do Brasil.

Qual é o maior sonho de vocês para 2022? O que já está sendo feito para conquistá-lo? O sonho é sempre o mesmo: fazer chegar oportunidades a cada vez mais jovens. Para crescer a receita é simples: recursos e equipe capacitada. E esse crescimento precisa ser cuidadoso para mantermos a qualidade do serviço prestado. Mesmo em uma crise econômica, seguimos confiantes, pois a sociedade entendeu que precisa fazer a sua parte e que só a educação tem esse poder. Estamos solidificando nossa metodologia pedagógica, capacitando a equipe. E quanto aluno talentoso estamos descobrindo muito nas cidades interioranas do Espírito Santo! São jovens que sabem que seus futuros serão transformados pela educação.

O que os motiva a continuar o trabalho? A força do jovem quando tem acesso às oportunidades certas somada ao desejo da sociedade que tem sede de mudança. O bem é muito maior quando reunido. Uma ONG tem esse poder de reunir forças do bem. E quando direcionadas a jovens talentosos, os resultados reverberam por gerações.  

Foto: Facebook/ Instituto Ponte

Veja também: