Blog

Mais diagnósticos precoces de câncer é meta de Melhor ONG do Rio Grande do Norte

Casa Durval Paiva trabalha para ser referência na excelência do acolhimento e para que pacientes descubram doença em estágio inicial, quando há mais chances de cura

Na biografia da Casa Durval Paiva de Apoio à Criança com Câncer, centenas de histórias podem ser narradas: algumas de perda e outras tantas de cura, porém, o que predomina é a celebração pela vida, enquanto ela existir. A organização atende pacientes oncológicos em cinco estados do Nordeste (RN, PB, CE, PE e SE) e, em 2021, foi reconhecida pelo Prêmio Melhores ONGs como a melhor do Rio Grande do Norte. O presidente da organização, Rilder Campos, é o nosso entrevistado de hoje.

O que vocês acreditam que foi fundamental para que a sua ONG fosse destaque no estado? Além do trabalho realizado em torno do combate ao câncer infantojuvenil e do atendimento aos casos oncológicos e hematológicos, a Casa Durval Paiva realiza um trabalho de resgate da cidadania, dignidade e qualidade de vida de seus pacientes e acompanhantes, antes, durante e após o tratamento, através de diversos projetos, dentro e fora dos muros da instituição. Como exemplo, podemos citar o Projeto Vida, que, há 24 anos, vem garantindo acesso a uma habitação segura e saudável, com a reforma ou construção de novas moradias, e o Projeto Diagnóstico Precoce, que visa capacitar profissionais de saúde da atenção básica, para terem um olhar mais sensível quanto aos sinais e sintomas do câncer infantojuvenil.

Quais são os principais desafios locais e como vocês acham que a sua organização contribui para minimizá-los? Em 2022, a Casa Durval Paiva completa 27 anos e, ao longo dessa jornada, como instrumento para suprir uma deficiência do Estado, de políticas públicas voltadas para a conscientização e diagnóstico precoce, conseguiu transformar a vida de milhares de famílias. Através de uma equipe composta por profissionais da assistência social e saúde (assistente social, dentista, fisioterapeuta, psicóloga, nutricionista, terapeuta ocupacional e farmacêutica), educação, cultura e arte (pedagoga), emprego e renda (Casa dos Ofícios), habitação e desenvolvimento sustentável (Projeto Vida) e setor de diagnóstico precoce, a Casa Durval Paiva vem trabalhando de forma multidisciplinar e interdisciplinar, para compor da melhor forma o acolhimento às crianças, adolescentes e familiares atendidos pela instituição. 

Ao longo dos seus 27 anos de existência, a Casa Durval Paiva vem trabalhando intensamente, com o objetivo de que haja o interesse da sociedade, através de campanhas, sensibilizações e capacitações dos profissionais da saúde e educação. Pois, o diagnóstico precoce esbarra em diversos obstáculos como: descarte de suspeita – por falta de informação das equipes da atenção básica, barreiras nos exames para precisão do diagnóstico, desarticulação da rede de atendimento primário, que resulta na demora entre o diagnóstico até o tratamento especializado, além de registros imprecisos.

Como o Prêmio foi recebido aí e como ele tem feito diferença no trabalho? O Prêmio foi recebido com muita alegria e veio para corroborar o reconhecimento a esse trabalho prestado pela instituição, por sua transparência na gestão dos recursos e na demonstração de resultados. Uma premiação assim motiva ainda mais todos os entes que lutam pela causa, impulsionando as ações e aumentando a nossa credibilidade junto aos doadores, parceiros, voluntários, colaboradores e a sociedade em geral.

Qual é o maior sonho de vocês para 2022? O que já está sendo feito para conquistá-lo? Esse sonho é considerado a visão da Casa Durval Paiva: “ser referência na excelência do acolhimento e nas práticas de promoção do diagnóstico precoce”. Trabalhamos para aumentar o acesso à informação e proporcionar ainda mais diagnósticos iniciais, com possibilidade de cura alta.

O que os motiva a continuar o trabalho? Celebrar vidas com alegria, esperança e determinação é a filosofia que mantém forte a Casa Durval Paiva e seus colaboradores. Chegar aos 27 anos, só foi possível graças à credibilidade que a instituição construiu, ao longo da sua história. Fazendo com que, a cada ano, o número de doadores e parceiros crescesse, proporcionando a construção de um trabalho ainda mais valioso para a sociedade. 

foto: galeria Casa Durval Paiva

Veja também: