Blog

Melhor ONG de Cultura conta como se mantém entre as 100 desde 2018

Saiba mais sobre o trabalho da SP Leituras, que tem o Prêmio na lista de seus objetivos anuais

Há 11 anos promovendo o direito e o acesso à cultura, leitura e literatura, a SP Leituras acolhe a diversidade e promove a cidadania por meio de suas ações. Desde 2018, a organização está entre os destaques do Prêmio Melhores ONGs e, em 2020, foi a melhor de Cultura. Quer saber como? O Diretor Executivo da ONG, Pierre André Ruprecht, conta nesta entrevista. Boa leitura!

Como foi manter a atuação durante o ano de 2021, apesar da continuação das dificuldades impostas pela pandemia? Foi um ano difícil. O empobrecimento e o aprofundamento das desigualdades fizeram-se sentir claramente, e nos preocupou muito a situação de boa parte de nossos públicos, pois o acesso remoto via internet ainda é algo inacessível ou de muito má qualidade para um contingente muito expressivo da população. 

Por outro lado, tivemos que trabalhar o ano inteiro predispostos às mudanças abruptas e revisões quase instantâneas dos planos de ação. Houve uma espécie de “volta à essência”, no sentido de que, literalmente, tudo o que fazemos precisou ser constantemente revisado, e para fazê-lo tivemos que nos interrogar em permanência sobre o que era relevante e o que era essencial em nossa ação.

O que vocês acreditam que fez com que a ONG fosse destaque na sua categoria? Participamos do Prêmio desde 2018 e sempre estivemos entre as 100 melhores ONGS.  Para nós foi uma agradabilíssima surpresa sermos o destaque da categoria em 2021. 

Acredito que três fatores concorreram para isto: antes de tudo, a enorme convergência de sentido de missão que domina as equipes e os parceiros da organização. Em segundo lugar, o fato de que, como organização credenciada como OS de Cultura, temos que conviver, por um lado, com uma enorme flexibilidade administrativa e por outro com obrigações de transparência extremamente exigentes e ao menos três diferentes instâncias de auditoria externa todo ano. Por fim, a condução segura dos processos administrativos, evitando ao máximo o engessamento das atividades.

Como o Prêmio foi recebido aí e como acham que ele vai fazer diferença no trabalho? O “Melhores ONGS” é para nós um prêmio extremamente importante. Consideramos o Prêmio como uma espécie de certificação de nossos processos. Todo ano ele faz parte de nossos objetivos, pois nos permite rever todos os processos de gestão e aprimorá-los ano a ano. Participamos desde a edição de 2018 e, nestes quatro anos, sempre conseguimos figurar entre as 100. O Prêmio foi recebido com enorme alegria pela equipe, por parceiros e amigos.

Qual é o maior sonho da organização para 2022? O que já está sendo feito para conquistá-lo? Neste ano estamos implantando um projeto novo e bastante ambicioso de biblioteca digital para apoiar as ações presenciais de leitura e de biblioteca, que vem sendo preparado há cerca de três anos, e estamos mergulhados num projeto de reforço de nossos laços internos e com nossos parceiros. 

O que motiva a ONG e sua equipe a continuar o trabalho? Somos muito motivados pela causa. Sentimo-nos movidos por razões substantivas que, além de nos darem um propósito comum, nos estimulam a pesquisar e melhorar nosso modo de trabalhar. Como conduzimos, entre nossos projetos, duas bibliotecas públicas comprometidas com a pluralidade e com a inovação, gostamos de prototipar e experimentar ações, serviços e projetos, se possível junto com nossos parceiros. 

Fotos: Equipe SPLeituras 

Veja também: