Blog

5 dicas para usar bem a devolutiva

Quem não passou na primeira fase pode aproveitar feedback para chegar mais forte à próxima edição

A banca avaliadora da edição 2021 do Prêmio Melhores ONGs terminou, nesta quinta-feira (2/9), de enviar a devolutiva para todas as organizações inscritas que não passaram para a segunda fase. Das 1033 organizações que participaram dessa edição, apenas 527 estão no páreo para estarem entre as 100 melhores do país — o resultado deve ser anunciado no final de novembro.

Além do reconhecimento, um dos objetivos do Prêmio é incentivar boas práticas em quesitos como governança, transparência, comunicação e financiamento, contribuindo também para a melhoria na gestão de todas as participantes. Por isso, desde 2019, todas as participantes recebem devolutivas detalhadas com dicas práticas para melhorarem suas gestões. Assim, mesmo as que não passaram para a segunda fase esse ano, têm a oportunidade de voltar um olhar crítico para suas fortalezas e fragilidades, se fortalecendo e chegando mais fortes à próxima edição.

As devolutivas começam trazendo informações gerais sobre o desempenho de cada organização na primeira fase. Em seguida, apresentam também alguns dados sobre as organizações com melhor pontuação, focando no questionário do Prêmio. A intenção é que cada organização possa se comparar com aquelas com melhor pontuação, a fim de compreender melhor seus pontos de melhoria.

Sua ONG está entre as que já receberam a devolutiva? O coordenador da nossa banca avaliadora, Fernando Nogueira, nos ajudou a preparar uma lista com algumas dicas de ouro para aproveitar as devolutivas da melhor forma possível. A ideia é que você use essas informações para o desenvolvimento e o fortalecimento de sua atuação e de todo o setor social.

  1. Analise cada dado com atenção

A devolutiva traz muitos dados. Entender cada ponto da média geral das ONGs e o quanto as que passaram se destacaram em relação às que não passaram pode te ajudar a identificar quais deles são mais importantes para a sua organização trabalhar internamente e se destacar na próxima edição.

  1. Compare as médias em detalhe

Comparar as suas respostas, no detalhe, em relação à média geral é outro exercício recomendado. Por exemplo, se uma porcentagem grande das ONGs que passaram cumpre determinado requisito, isso indica que esse é um ponto que faz diferença. Se a sua organização está entre as que não estão tão bem nesse ponto, trabalhe nele.

  1. Monte um plano de ação 

Depois de entender os resultados, é importante que a gestão passe esse feedback para toda a equipe e, junto com todos, monte um plano de ação. Mesmo que seja um plano simples, nossa experiência com ONGs mostra que já pode fazer muita diferença. Feito é melhor que perfeito.

  1. Elenque prioridades

São muitos pontos, mas vocês podem escolher alguns que consideram prioritários para começar. Como critérios, nossas dicas são identificar tanto os que são mais importantes quanto os que são mais executáveis nesse momento. Os outros pontos podem fazer parte do plano, mas um passo de cada vez.

  1. Olhe para dentro

A devolutiva tem medidas gerais de boas práticas, mas a gente sabe que cada organização tem suas especificidades e, nem sempre, o que se aplica a uma é viável para a outra. Para saber disso, o melhor jeito é conhecer sua organização no detalhe, ou seja, voltando o olhar também para dentro. A intenção é que as dicas sirvam para inspirar vocês no que pode ser feito por aí, não necessariamente que sua ONG precisa replicar outras experiências.

Foto: Mulher foto criado por cookie_studio – br.freepik.com

Veja também: