Blog

Educação é aposta de ONG para transformar futuros

Gaia+ atende crianças e adolescentes e é uma das 100 melhores ONGs do Brasil

“Imagine um grande problema que você gostaria de resolver. Talvez você tenha pensado em desigualdade, mudanças climáticas, ou algum outro problema complexo. Agora pense nas soluções necessárias para resolver esse problema. Eu aposto que a educação faz parte dessa solução. Está na base de tudo e é fator essencial para construirmos uma sociedade mais compassiva e equitativa”, assim começa a entrevista com o mobilizador de boas relações da Gaia+, Hiago Martins.

A organização que, em 2020, foi reconhecida como uma das 100 melhores do país, trabalha para que as crianças e os jovens desenvolvam todo o seu potencial por meio da educação e da integração entre corpo e mente. Assim, eles se tornam mais aptos a participarem da construção de um mundo melhor. A seguir você vai conhecer um pouquinho desse trabalho, que já transformou mais de 11 mil vidas. No final, tem ainda história do Kauã, conhecido lá na ONG por ser um Gaianinho Herói. Boa leitura!

Qual é a história que deu origem à ONG?João Paulo Pacífico, o idealizador da ONG, sempre esteve preocupado com grandes problemas e como poderia ser parte da solução. No segundo semestre de 2014 ele estava lendo o livro “The Promise of a Pencil: How an ordinary person can create an extraordinary“, de Adam Braun. Neste livro, Braun conta que esteve em locais miseráveis e perguntou para as crianças: “Se você pudesse escolher qualquer coisa do mundo, o que gostaria de ganhar?” A resposta de um menino em especial o surpreendeu: “Um lápis.” A partir de então, Braun abandonou seu emprego e fundou uma ONG para construir escolas em países subdesenvolvidos. Essa história encantadora despertou a fagulha que faltava para João se inspirar e criar a Gaia+, uma ONG que visa promover educação para ampliação da consciência e compaixão em todos os lugares, contribuindo com o desenvolvimento de crianças em vulnerabilidade social de uma forma efetiva e divertida.

Qual é o maior desafio de gestão que vocês têm hoje? Atualmente, estamos focados em aprimorar nosso modelo de atuação para que a organização consiga expandir o seu impacto de forma consciente e sustentável. Os desafios iniciais encontrados passam por estruturar novas fontes de recursos independentes, alinhadas às causas da organização. Para curto e médio prazo, estamos trabalhando junto a fundos internacionais que apoiam iniciativas que atuem em conformidade aos pilares de ESG (em inglês, a sigla significa Environmental, Social and Corporate Governance).

E os planos para esse ano e próximo? Neste ano desenvolvemos um projeto junto ao Fundo Pranay e à Emory University para implementar o SEE Learning, uma iniciativa global que reúne os pesquisadores e professores mais renomados do mundo em inteligência socioemocional, possibilitando a formação de mais de 1500 professores de escola pública por todo o Brasil.

Conta pra gente o maior orgulho do trabalho ou uma história de voluntariado? O nosso maior orgulho é conseguir inspirar as pessoas a partir das histórias das crianças transformadas pela Gaia+. Está é a história do Kauã, nosso Gaianinho Herói:
Frio na barriga, medo de errar, olhos bem abertos, boca bem fechada. O mundo do Kauã estava preso dentro dele, fechado a sete chaves. Também pudera, tão pequeno e já viu muita tristeza, perdeu tudo até a casa. Era difícil confiar nas pessoas e a cabeça era um turbilhão de confusão. De repente, conheceu uma frase: “Cheira florzinha… e assopra a velinha”. Ele fechou os olhos e confiou, e aquele furacão que habitava o seu coração se acalmou virando uma brisa fresca. Dentro da Gaia+, Kauã encontrou um mundo mágico com um caminho muito bonito e divertido, os adultos queriam ouvir, as crianças queriam ser suas amigas. E ele que adora brincar, queria juntar todos, desde os mais bagunceiros como os mais tímidos. Praticar a gratidão, sorrir e fazer sorrir, viver com garra, ir além e surpreender, fortalecer o grupo e ser gentil. Celebrar os valores da Gaia+ fez tanto sentido que ele se jogou e percebeu que, à medida em que as amizades se fortaleciam, ele conseguia confiar e ser confiado, vencia desafios e sorria como nunca. Essa história parece boa demais para ser verdade, e ela é! O Kauã já não tem mais idade para participar da Gaia+, mas estamos em seu peito e seguiremos juntos sempre!

Foto: divulgação/Gaia+

Veja também: