Blog

“Trabalhar juntos para que todos tenham qualidade de vida e possibilidades de desenvolvimento”

Com mais de 60 anos de trabalho, Apae BH é uma das 100 melhores ONGs do Brasil

A Associação de Pais e Amigos de Excepcionais de Belo Horizonte (Apae BH), fundada em 1961, já atendeu mais de 100 mil pessoas com deficiência intelectual e múltipla, bem como suas famílias, em algum momento de suas vidas. Em 2020, o trabalho da organização foi reconhecido como um dos 100 melhores do Brasil pelo Prêmio Melhores ONGs e, esta semana, sua gestora de ações integradas, Patrícia Valadares, é a entrevistada do nosso blog. Ela contou um pouco sobre a história, os desafios e os planos para o futuro da Apae BH. Boa leitura!

Qual é a história que deu origem à ONG? No final da década de 50, a educadora Helena Antipoff mobilizou lideranças políticas, profissionais de diversas áreas e a sociedade num movimento organizado de defesa de direitos e prestação de serviços de qualidade às pessoas com deficiência intelectual e múltipla e a suas famílias. Essas pessoas eram, até então, excluídas e esquecidas pelas políticas públicas de interesse social. Essa realidade começou a mudar em 1954, quando foi criada a primeira Apae no Rio de Janeiro. A Apae BH veio pouco depois, em 1961, criada por um grupo de pais e amigos de pessoas com deficiência intelectual e múltipla tendo à frente nomes como Alaíde de Melo Tibo, Paulo Campos Guimarães e o professor José Artur, seguindo os preceitos da mobilização feita por Helena Antipoff alguns anos antes.

Nosso trabalho começou com a oferta do serviço educacional, com a criação de uma escola especializada (Escola Oficina Sofia Antipoff), onde atendíamos a mais de 60 pessoas com deficiência intelectual e múltipla. Muitas destas pessoas nunca tinham saído de casa. A Apae BH também veio favorecer o convívio social destas pessoas e esperanças de uma vida melhor para as mesmas e suas famílias conforme os relatos das famílias na época. De lá para cá, passamos por diversas transformações e tivemos diversas conquistas em prol da cidadania das pessoas com deficiência. Atualmente, possuímos diversos serviços na área da assistência social, educação e saúde, tendo equipes trans e multidisciplinares trabalhando de forma integral e integrada na defesa de direitos e na prestação de serviços de qualidade às pessoas com deficiência. Este ano fizemos 60 anos de atuação em defesa das pessoas com deficiência, preferencialmente com deficiência intelectual e oferecemos vários serviços nas áreas de saúde, educação e assistência social.

Qual é o maior desafio de gestão que vocês têm hoje? O maior desafio que possuímos hoje é a sustentabilidade da instituição. Em todos esses anos ampliamos os serviços e o transformamos de acordo com as demandas das pessoas com as demandas apresentadas pela pessoa com deficiência e suas famílias e manter esses serviços não tem sido uma tarefa fácil.

E os planos para esse ano e próximo? Já tivemos diversas conquistas em relação às políticas públicas e as pessoas com deficiência estão conquistando a sua inclusão em diversos lugares. Os nossos planos são continuar oferecendo um serviço de qualidade para o nosso público alvo, estar próximo a eles e chegar até a casa deles nesse momento tão complicado da vida de todos devido a pandemia, trazendo oportunidades para o contínuo desenvolvimento de habilidades e possibilidades destas pessoas terem uma melhor qualidade de vida. Para isso, acreditamos em parcerias com outras instituições e com a rede de serviços presentes nos municípios de nossa atuação. Trabalhar juntos para que todos tenham qualidade de vida e possibilidades de desenvolvimento de habilidades da vida diária e também socioemocionais. Também estamos buscando novas fontes de recursos para a manutenção constante dos serviços para que possamos dar continuidades a esses atendimentos.

Conta pra gente o maior orgulho do trabalho? O maior orgulho que nós temos a celebrar é, certamente, a excelência do resultado entregue na ponta a todos os nossos 4 mil usuários. Todas as pessoas com deficiência que estão ou que passaram por aqui foram impactadas positivamente com o desenvolvimento de sua autonomia e sociabilidade. Todos os dias, a qualquer hora – muitas vezes diuturnamente – nossos serviços são entregues e tanto as pessoas com deficiência quanto suas famílias veem esse resultado e o comemoram conosco. Venha! É só chegar aqui e ver essa linda mágica regada a tanta dedicação e profissionalismo acontece o tempo todo.

Foto: divulgação Apae BH

Veja também: