Blog

Foco e aprimoramento de processos são alguns dos segredos de Melhor ONG de Educação de 2020

Após conquista, Cidadão Pró Mundo espera crescer ainda mais em termos de impacto e alcance, aumentando o número de alunos atendidos

Após mais de 20 anos de atuação, a Cidadão Pró Mundo (CPM), que ensina inglês para o para jovens e adultos de comunidades carentes em todo o país, foi reconhecida como a melhor organização de Educação pelo Prêmio Melhores ONGs de 2020. Atualmente, eles têm cerca de 1.400 voluntários, entre professores e equipe administrativa, além de uma equipe contratada dedicada às áreas estratégicas da ONG, todos mobilizados para atender a seus mais de 2.500 alunos em uma de suas 12 Unidades de Ensino.

Para saber mais sobre o trabalho e a repercussão do Prêmio, conversamos com a Ludmilla Fregonesi, diretora executiva da Cidadão Pró-Mundo. Ela conta que o grande sonho agora é conquistar o título de Melhor ONG do Brasil.

Como foi a repercussão de ganhar o prêmio? Ficamos imensamente felizes por termos sido reconhecidos como a Melhor ONG de Educação do Brasil! O prêmio foi resultado não só da nossa seriedade e profissionalismo, mas também da dedicação e do trabalho dos nossos voluntários.

Como comemoraram internamente? O prêmio foi recebido com muita alegria por nossos alunos e voluntários, que acompanharam o evento online de premiação e se emocionaram demais quando fomos anunciados como a Melhor ONG de Educação do país. Enviamos mensagens de agradecimento aos voluntários, compartilhamos a notícia com nossos alunos e nossos grupos de WhatsApp foram inundados por declarações de amor à CPM.

A premiação ajudou a captar recursos, voluntários, parcerias, reconhecimento da comunidade? Não temos dúvidas de que o resultado contribuiu para a captação de alunos e voluntários, visto que muitos passaram a conhecer a CPM após a divulgação da premiação. Termos sido apontados como a Melhor ONG de Educação do Brasil nos trouxe ainda mais visibilidade, o que resultou em um aumento no número de contatos que recebemos com propostas de parceria, início de conversas com potenciais parceiros institucionais e fortalecimento da relação com parceiros atuais. Enviamos uma newsletter a todos os nossos parceiros (informando sobre o Prêmio) e recebemos muitas manifestações de reconhecimento do nosso trabalho e de satisfação por apoiarem a ONG.

Quais são os planos para 2021? Após sermos considerados a Melhor ONG de Educação do Brasil, pretendemos trabalhar arduamente para conquistar o grande prêmio de Melhor ONG do Brasil. Para tanto, nossa principal meta para 2021 é consolidar ainda mais o formato de curso online (adotado após o início da pandemia) e continuar entregando ensino de qualidade para nossos beneficiários. Nossa intenção é crescer em termos de impacto e alcance, aumentando o número de alunos atendidos.

Como a pandemia tem afetado o trabalho de vocês? Como grande parte das instituições de ensino, sofremos um enorme impacto na forma como funcionamos. O curso de inglês da Cidadão Pró-Mundo sempre foi 100% presencial, o que significa que, no momento em que as atividades precisaram ser suspensas, foi necessário um grande esforço de planejamento para a adaptação do conteúdo das aulas para o formato online. Com enorme competência e rapidez, nossa equipe pedagógica planejou toda a transição e, lançando mão das mais modernas metodologias de ensino, propôs aos nossos alunos material incrivelmente qualificado e adequado à nova realidade. Passado este primeiro momento de adaptação do curso, os principais desafios que temos enfrentado atualmente dizem respeito a como estimular e garantir o engajamento de alunos e voluntários, como enfrentar as diversas limitações de nossos estudantes no que diz respeito a conectividade.

Que conselho vocês dariam para as organizações que concorreram e não ganharam? Sugerimos continuarem focados em causar impacto cada vez maior e mais positivo no público que atendem. Além disso, recomendamos buscar melhorar continuamente, aprimorando os processos, privilegiando a gestão estratégica e promovendo ações frequentes para o engajamento de todo o público envolvido.

Qual é o maior desafio de gestão que vocês têm hoje? Atualmente, com certeza nosso maior desafio está ligado ao engajamento de nossos mais de 1.400 voluntários no cenário da pandemia.

E o maior orgulho? Nestes 24 anos de existência, a CPM tem enorme orgulho de sua história, sempre pautada pela seriedade, qualidade da prestação do serviço e pelo nosso propósito de promover oportunidades através da educação. Marcos Fernandes, o fundador da Cidadão Pró-Mundo, sempre conta que por diversas vezes decidiu encerrar as atividades da ONG, mas o amor dos voluntários pelos alunos e a vontade de melhorar a educação do Brasil nunca permitiram que isso acontecesse. Além disso, é impossível não destacar o fato de que, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas em 2020, conseguimos adaptar o curso para o formato online em tempo recorde. A taxa de evasão na ocasião ficou bem abaixo de nossa expectativa (13% para alunos e 20% para voluntários) e, com o suporte incondicional de nossos 1000 voluntários ativos, conseguimos seguir impactando positivamente a vida de quase 2000 alunos.

Tem uma história de voluntariado ou ação que vale a pena contar? Claro, temos várias! Ao longo de nossos 24 anos de atuação, colecionamos uma enorme quantidade de histórias marcantes. Uma das histórias mais recentes e lindas é a do Victor Hugo, morador do Capão Redondo que tinha o sonho de aprender inglês. Após tornar-se aluno da Cidadão Pró-Mundo, aproveitar algumas das diversas oportunidades (além do inglês) promovidas pela CPM e esforçar-se com afinco ao longo dos 5 anos de curso, Victor fez um intercâmbio no Canadá, concluiu a faculdade, foi estagiário em um grande banco internacional de investimentos, foi contratado por outro banco internacional de renome e hoje, além de fazer parte do grupo de associados da CPM, atua como volunteacher (professor voluntário) na Unidade Capão Redondo, onde começou sua história com a gente.

Veja também: