Blog

Estudar a devolutiva da premiação é dica de Melhor ONG de Direitos Humanos de 2020

Escola de Gente vai analisar documento com equipe e chega mais forte ainda à edição 2021

Desde 2002, a Escola de Gente – Comunicação em Inclusão  trabalha colocando a comunicação a serviço da inclusão na sociedade, principalmente de grupos vulneráveis como pessoas com deficiência. Em 2020, se inscreveu pela primeira vez no Prêmio Melhores ONGs e já foi destaque entre as 100, levando também o título de Melhor ONG de Direitos Humanos. A idealizadora do Escola de Gente, Claudia Werneck, conversou com a repórter do nosso blog.

Como foi a repercussão de ganhar o prêmio? Muito grande, porque de fato é um reconhecimento importante. Esta foi a primeira vez que concorremos e era uma meta nossa, em 2020, ficar entre as 100 melhores ONGs para se doar. O destaque em Direitos Humanos foi uma surpresa inesquecível. Toda a equipe assistindo e vibrando ao vivo. De repente, veio o nosso nome. Que alegria!

Como comemoraram internamente? Foi uma emoção indescritível. Celebramos entusiasmados no home-office (essa categoria nova de celebração…) e, como é o nosso jeito de trabalhar, em seguida nos reunimos para aprimorar os processos a tempo de concorrer de novo.

A premiação ajudou a captar recursos, voluntários, parcerias, reconhecimento da comunidade? Reconhecimento da nossa comunidade de relacionamento, sem dúvida! Quanto à captação de recursos, ainda não, mas com certeza nos ajudará. O recrudescimento da pandemia atrasou a execução de alguns planos, entre eles a inserção com destaque do link da plataforma de captação de recursos do prêmio Melhores ONGs. Desde o início da pandemia, eu temia o ano de 2021. Com a situação atual, vejo que ele será trágico para a captação de recursos, exigindo muita criatividade e resiliência de ONGs que não têm sustentabilidade e são não religiosas e não partidárias, além de focadas em causas como os direitos humanos. Mas estamos determinados a buscar soluções. Temos muito conteúdo e metodologias plenamente acessíveis e inovadoras no online para oferecer.

Quais são os planos para 2021? Recebemos a devolutiva e nos reuniremos para avaliar os resultados. A propósito, gostaria de parabenizar a premiação pela devolutiva – que raras premiações oferecem – e por toda a organização. Muito bem planejado e executado. Minha sugestão é que a premiação 2021 adote recursos de acessibilidade comunicacional (Libras, legenda e audiodescrição), também nos vídeos sobre cada uma das 100 ONGs.

Como a pandemia afetou o trabalho de vocês? Tem afetado muito, não por conta do home office, que implementamos em março de 2020, mas porque em todas as famílias de cada pessoa da equipe há vítimas, fatais ou não, da Covid-19. As situações se multiplicam e o isolamento longo deixa suas marcas no emocional também.

Que conselho vocês dariam para as organizações que concorreram e não ganharam? Não desistir. Estudar a devolutiva da premiação e traçar metas de aprimoramento.

Qual é o maior desafio de gestão que vocês têm hoje? Toda ONG tem dois desafios igualmente importantes: a causa e a gestão. O maior desafio da gestão é justamente estar alinhada com os desafios da causa. No nosso caso, os direitos humanos com foco na população que tem deficiência e vive na pobreza.

E o maior orgulho? Termos captado, em 2020, 28% a mais de recursos do que em 2019, mesmo com todas as dificuldades da pandemia, o que nos remete à reputação e relevância da Escola de Gente junto a investidores sociais e a empresas parceiras. Temos orgulho de fidelizar nossas empresas parceiras. E temos orgulho também de, a cada ano, termos novas empresas parceiras. Em 2020, completamos 18 anos e uma de nossas diretrizes, desde a nossa fundação, é fortalecer alianças intersetoriais pela inclusão. Para isso, criamos e/ou participamos de redes no Brasil e no exterior, integramos desde 2005 o Conselho Nacional de Juventude e praticamos um advocacy pela inclusão nacional e internacional bem significativo.

Tem uma história de voluntariado ou ação que vale a pena contar?
Pessoas com deficiência são a maior minoria do planeta e um dos alvos preferenciais de todo tipo de discriminação. Além de serem historicamente impedidas de participar com autonomia e independência da vida em sociedade por barreiras de comunicação, enfrentam, desde março de 2020, a maior exclusão de suas histórias, em decorrência do isolamento social provocado pela pandemia: trata-se de um confinamento ou exílio comunicacional.

Diante dessa realidade, a Escola de Gente viu crescer sua responsabilidade como organização da sociedade civil devotada a ser útil na garantia de direitos da população que têm deficiência e vive na pobreza. Decidiu, então, focar o ano de 2020 (e os subsequentes) para combater toda essa exclusão virtual comunicacional. Sem acessibilidade no online, sem internet de qualidade em seus lares e celulares, como participar da vida em sociedade? Esta exclusão digital expandida ficou ainda mais trágica porque coincidiu com a necessidade crescente de acesso emergencial a conteúdo, entretenimento e serviços digitais.

Por isso, a nossa história que vale a pena contar é o quanto a pandemia, com toda a sua tragédia, nos impulsionou para mais inovação e ousadia, com a criação do projeto “Hiperconexão Inclusiva – informação também é linha de frente”, criado justamente em abril de 2020, para garantir equidade na comunicação online para pessoas com deficiência, baixo letramento, idosas e outras. O Hiperconexão Inclusiva abraça duas ações da Escola de Gente:

1) a realização das primeiras lives plenamente acessíveis da internet brasileira, para o público adulto e infantil – com Libras, legenda, audiodescrição e linguagem simples, operadas por meio de uma solução tecnológica integrada desenvolvida pela Escola de Gente, e que vem sendo disseminada gratuitamente pelo Brasil e pelo mundo. Além disso, com essa tecnologia, em 19 de setembro de 2020, Dia Nacional do Teatro Acessível, justamente uma lei idealizada pela Escola de Gente no ano de 2013, realizamos o primeiro espetáculo de teatro online, acessível, ao vivo, gratuito e à distância.

2) o aprimoramento do Vem CA – primeiro aplicativo plenamente acessível do Brasil – idealizado e lançado pela Escola de Gente em setembro de 2019, e que ganhou ainda mais função e responsabilidade em função do isolamento provocado pela Covid-19. O app Vem CA foi desenvolvido pela Escola de Gente com o objetivo de romper uma polarização histórica: o desencontro entre pessoas com deficiência e os direitos culturais. O Vem CA possibilita cadastrar – e divulgar – 12 tipos de atividades, como cinema, teatro, dança, show musical, biblioteca, música, circo e game, e também 12 acessibilidades, como Libras, audiodescrição, linguagem simples, assento acessível, banheiro acessível e legenda. A combinação entre as acessibilidades e as atividades culturais é inigualável e múltipla, pois permite buscas amplas por data, horário e território também. Uma das acessibilidades do Vem CA é a gratuidade, em função da inequívoca relação entre pobreza e deficiência.

De dezembro de 2019 a janeiro de 2020, a Rede Globo de Televisão veiculou uma campanha produzida pela Escola de Gente para milhões de pessoas. Com isso, o Vem CA obteve mais de 15 mil downloads e mais de 300 eventos cadastrados em dias. É fato que a Covid-19 interrompeu bruscamente a trajetória inicial de sucesso do Vem CA. Mas, felizmente, a Escola de Gente já havia aprendido muito sobre sua tecnologia social e assistiva, e partiu para adaptá-lo à cultura acessível online. É no que estamos trabalhando. A relação da acessibilidade com a tecnologia é sempre tensa, porque são áreas que conversam pouco. E a interação é minuciosa e longa. Ou melhor, eterna.

O ano de 2021 da Escola de Gente será dedicado a impulsionar o app Vem CA, agregando novas funcionalidades, acessibilidades e serviços, consolidando seu perfil de plataforma apta, devotada e conectada ao espírito democrático e republicano do qual o Brasil tanto necessita neste momento. O C de Vem CA agora também será de Conteúdo, Conhecimento e Contato. As novas funcionalidades do Vem CA incluirão a criação de um espaço no qual empresas que prestam serviços de acessibilidade como Libras, audiodescrição, legendagem, instalação de piso tátil e linguagem simples, por exemplo, poderão se cadastrar. A oferta de acessibilidade também vem sendo revista e aprimorada, com a adoção de mais soluções para serem utilizadas simultaneamente. Na perspetiva de promoção de conexões, a Escola de Gente irá criar a Rede Vem CA, com foco na produção cultural das periferias.

Em fevereiro de 2020, o Vem CA foi apresentado na plenária final da Zero Project Conference, na sede da ONU em Viena, Áustria, o mais importante evento internacional sobre inclusão e acessibilidade do mundo. Em seguida, foi tema também de uma palestra online para duas mil pessoas no 4º Seminário Internacional da Access Israel – “Educação Remota Acessível e Inclusiva Durante e Pós COVID-19”. Em 2021, o Vem CA foi reconhecido como tecnologia muito inovadora pela Fundação Essl, da Áustria, convidado a participar de um impactante documentário sobre tecnologias acessíveis que merecem destaque internacional, representando o Brasil, veiculado em 10 de fevereiro de 2021, durante a Zero Project Conference 2021.

Imagem: divulgação

Veja também: